Desafios Políticos para 2020

O mundo entrou nos novos anos 20, desta vez, entramos nesta década sem o alento de outrora, mas, com uma sensação generalizadamente negativa.

Globalmente, enfrentamos uma clara desacreditação da classe política, uma crise de valores, a receção dos valores liberais e democratas, mais recentemente, tensões entre países com espíritos imperialistas.

Não querendo ser o professor Bambu, mas apoiado em dados disponibilizados pelo Departamento de Ciência Política da Universidade de Gothemberg, estas são as tendências políticas que trazem novos desafios para o início da década.

– Manipulação Governamental dos media.

O primeiro grande desafio é parar a manipulação dos media pelos governos mundiais. Este relatório conclui que os governos estão a aplicar cada vez mais pressão nos media, causando uma erosão da liberdade de expressão da imprensa.

Funny fact, not that funny: Pela primeira vez o relatório apresenta provas que a liberdade da imprensa e a justiça eleitoral está pela primeira vez a decrescer. A tendência inverteu pela primeira vez. Estão mais países a aplicar medidas restritivas à liberdade, ao invés de países a encorajarem a liberdade de expressão individual.

– Polarização tóxica da sociedade.

O primeiro problema leva a este segundo, que para mim é o mais grave, a polarização tóxica de eleitorado. Os extremos têm procurado antagonizar grupos diferentes da sociedade, descredibilizar e incutir a desconfiança de certos grupos socias. O uso de discursos de ódio (catalogado segundo a definição do Conselho Europeu) está cada vez mais em voga e cada vez dá mais frutos eleitorais. O relatório mostra ainda que cada vez os oponentes políticos se confrontam menos com argumentos baseados na verdade.

– Desinformação digital a galope.

A digitalização proporciona a expansão da desinformação, neste relatório, confirmasse que cada vez mais governos recorrem a campanhas de desinformação online. Os regimes mais autocratas têm tendência a usar a internet para manipular a informação sobre o ambiente político do país.

Em jeito de conclusão, os valores que a Segunda Guerra Mundial defendeu para a sociedade estão a precisar de escudeiros: razão, ciência, liberalismo e democracia, direitos humanos, imprensa livre, mercados comuns e regulados, cooperação internacional.

O mundo não está pior, está diferente, mais rápido, mais conectado, mais instantâneo. Se nos atiram com os fracassos da democracia dos últimos anos, devemos devolver a bola sempre no campo da razão apontando os gigantes progressos conseguidos. Discutir apoiados em factos, e não em perceções, garante algo que os extremos nunca terão, longevidade e liberdade.

Para consultar o relatório completo fica o link aqui 😉

(https://www.v-dem.net/en/news-publications/democracy-reports/)

Bruno Galaio

Vogal da Comissão Política | JSD Distrital de Santarém